Páginas

Paris Express

Bom, muitos me perguntam como aproveitar Paris sem gastar tanto, então vamos lá! A cidade em si é um convite ao passeio gratuito.











Hospedar
Hospedar-se no centro da cidade é contudo mais caro mas vale a pena até por facilitar o passeio, e há bons bairros como Opera, Notre Dame, Place de l'Italie, Montparnasse, Saint-Lazare, Porte-Maillot, Quartier Latin entre outros, vai depender da promoção que os hotéis fazem. Se você estiver programando hotel com um agente de viagens, peça indicação, mas se estiver por conta própria, dê uma navegada no site do Ibis, Premier Classe e BB são hotéis econômicos e há boas ofertas. Tem milhares de hoteizinhos à moda parisiense, às vezes o problema é que muitos deles são em prédios antigos, apertados, mas que também pode ser uma curtição (ou dor de cabeça, em alguns os banheiros são coletivos e fora do quarto, por isso são mais baratos). Evite bairros como Gare du Nord, Gare de l'Est, Clichy, Pigalle ou bairros pro norte ou nordeste da cidade, são meio barra pesada apesar de ter hotel barato por lá.


Transporte
Andar em Paris é bater perna mesmo, não vale a pena alugar um carro e claro o famoso metro é em si um ponto turístico. E se prepara para andar, o metro parece um viveiro de minhoca com túneis e baldeações para tudo quanto é lugar, um sistema incrível e muito antigo, mas o lance é estudar o caminho antes de entrar no metrô. Há um bilhete de metrô chamado Carte Mobilis e vale para o dia todo, custa €6,40 e vale a pena, pois só o trajeto unitário custa €1,90. Você pode comprar nos guichês ou nas maquinas automáticas que aceitam quase todos os cartões. Taxi também não é caro, muitos motoristas falam inglês. Apesar de mais complexos, o roteiro dos ônibus são mais interessantes porque vê a cidade de outros ângulos, porém o mais rápido e prático ainda é o metro. Se o tempo estiver bom, anda numa Velib, são bicicletas alugadas pelo período de 30 minutos, você retira e devolve em qualquer ponto. Dica: se a estação de bicicletas estiver lotada, valide seu ticket por mais quinze minutos e ele mostra o mapa de outros pontos Velib para devolver. É muito legal andar por Paris de bike!!

Roteiro (por áreas da cidade)
1) Em quatro ou cinco dias da pra conhecer bem a cidade, mas procure se concentrar por região e conhecer melhor os pontos turísticos, por exemplo, se for à Torre Eiffel, dali você à pé vai para o Arco do Triunfo e à Champs Elysées;

2) da Notre Dame, vai pra Ile Saint Louis e Cité (onde Paris nasceu). Marais é o um lado charmoso da cidade e lá perto tem a Place de Vosges, uma praça especialmente desenhada, são nove prédios em cada face, com várias galerias de arte;

3) Depois, vá até Montmartre e a Catedral Sacre Coeur (o ticket mobilis permite subir de bondinho até a catedral), lá é a parte boêmia da cidade, muitas lojas de souvenirs, ruas estreitas invadidas de pintores, músicos, poetas, artistas, etc. Perto fica a rua do filme Amelie Poulain! E dali você desce a colina e vai até o Moulin Rouge. Essa área é o bordel de Paris, um lugar um pouco perigoso à noite, mas durante o dia não tem problema, inclusive tem vários sexshops, bar de strip, etc;

4) Museu do Louvre custa €11,00 e é imenso, ai o que sugiro, além de conhecer a Mona lisa e parte Egípcia com as múmias, tem ainda parte Grega, Vênus de Milus. Gosto muito das artes persas e asiáticas. Os mapas do museu são grátis e já tem português. Dica: estuda o mapa antes de entrar no museu pra não se perder e saber onde se quer ir. Do outro lado do Sena, está o Museu d'Orsay, impressionistas como Monet, Van Gogh entre outros e fica numa estação de trem antiga bem bonita;

5) Outra região, o Jardim de Luxembourg, Sorbone e Quartier Latin ficam perto da Notre Dame. O boulevard Saint-Germain é um dos lugares mais burgueses e nesta avenida tem o Café Flore. Ali perto tem a igreja Saint Sulpice (do filme Código da Vinci) e a igreja Saint Germain de Près, muito medieval e é a considerada a primeira igreja, cerca de 700 d.C.; perto dali, tem o museu medieval e é gratuito.

6) Opera Garnier é outro ponto de visita sem falta, se puder faça o tour guiado. O camarote numero 5 é reservado ao Fantasma da Opera e nunca é vendido (pra manter o mito). A Opera fica perto das lojas Galerie Lafayette e Printemps;

7) Palácio de Versailles é imperdível e leva uma manhã toda e inicio da tarde. Fica fora de Paris e para chegar lá precisa tomar um trem, o RER C, para o lado oeste. A entrada custa uns 15€. Sugiro fazer picnic, comprem vinhos, queijos, baguettes e doces franceses típicos como um bom macaron ou tartelette de framboesa, senta debaixo de uma sombra nos jardins... além de ser romântico, é pratico, pois os restaurantes são fora do palácio e os jardins são de perder de vista;

8) visite ainda a Igreja Madeleine, Jardim de Tuileries e Praça Concorde, no coração de Paris. Lá perto tem a Place Vendome, uma das praças mais chiques da capital;

9) Um passeio bonito para fazer é o Bâteau Mouche pelo Sena, a saída dele fica no pé da torre Eiffel e procure ir ao por do sol... é lindo!

Comer
Na galeria Lafayette tem um restaurante excelente no ultimo andar e que não é tão caro, você paga pelo prato escolhido, estilo bandejão, cozinha francesa, um display de sobremesa e tem uma vista da cidade bem bonita. E no prédio ao lado, na Lafayette Homme, tem um supermercado gourmet e uma confeitaria Dalayou... sem comentários de delicioso! Há vários restaurantes que propõem menu do dia com entrada, prato quente e sobremesa, normalmente por uns 18 a 22€. Se preferir uma baguette tipica recheada, tem duas rede de sanduíches à moda francesa chamada Pomme de Pain e Brioche Dorée. O trio de sanduba, bebida e sobremesa sai por 8€ em média. Não deixe de comer as galettes e crepes nos kiosques da rua mesmo, eles fazem na hora, custa uns 2 ou 3€. A padaria Paul também é excelente e bem antiga na cidade, é uma rede também. Mas tem as famosas Fauchon, Dalayou, LaDuré e Lenotre em vários endereços. Os cafés parisienses como Flore (boulevard Saint Germain) e de la Paix (frente a Opera Garnier) são muito famosos e o lance é ficar nas mesinhas apreciando o movimento. Há ainda o Angelina, uma excelente casa de chá frente ao jardim de Tuilleries. E que tal biscoitaria, La Cure Gourmande (na avenida da Opera Garnier) é fantástica, artesanal com caixas de metal lindas e os biscoitos, balas e pirulitos coloridos parecem dos anos 20. Se quiser sair pra jantar, tem um restaurante legal chamado Equinox (fica na rua de Rosier, no Marais), as paredes são todas em pedras, como taberna, a luz de velas, um bom vinho. A comida é ótima a um preço bom, €15,00 o menu de entrada, prato principal e sobremesa. O Procope é o mais antigo da cidade, 1680, os filósofos franceses como Voltaire frequentavam. O restaurante da torre Montparnasse (o prédio mais alto de Paris) tem uma vista bem bonita pra jantar. Buddha Bar é outro muito famoso pelas musicas lounge, ambiente contemporâneo. Enfim, lugar pra jantar não falta, são cerca de 18 mil restaurantes.

Compras
As lojas de rua são a pedida. Mas há centros comerciais e outlets. A Galeria Lafayette é bem famosa pelos brasileiros. Antes de comprar, vá até o Serviço Cliente e faz um cadastro pra ter desconto por ser estrangeiro, da 10% de desconto, além das promoções que eles oferecem. Para os perfumes tem Sephora e a Benlux ao lado do Louvre na rua Rivoli, é preço de freeshop e tem atendentes brasileiras. Não esquece da L’Occitane, muito mais em conta que SP. A Fnac e a Virgin na av. Champs Elysées e outros endereços são bem interessantes para os eletrônicos, cds, dvds, livros maravilhosos de receitas francesas, livros de arte, idiomas, etc. A região em torno da Opera Garnier é cheia de lojas, a Uniqlo e Muji, apesar de serem japonesas, faz um muito sucesso e os preços são ótimos, Zara tem preço bom, Esprit para o feminino, Celio e Geox para masculinos... enfim milhões de opções. A rua Franc de Bourgeois, em direção à Place de Vosges é uma graça e cheia de lojas de boas compras e rua Mouftard no Quartier Latin também. 

Compras na mesma loja e acima de 175 euros, você pode pedir o reembolso do TVA lá no aeroporto. É preciso apresentar a mercadoria, o passaporte, passagem e formulário emitido pela loja, ou seja, faça antes do seu checkin.

Qualquer coisa, me escrevam... bon voyage! 




Nenhum comentário:

Postar um comentário