Páginas

Espaços urbanos

Encontrei essa matéria no site do Nippocultura esta semana e identifiquei-me bastante sem saber esse lado minimalista. Viver com um pouco menos, no modo simples. Sabe aquele monte de coisa em casa? Decoração, livros, bibelots e bonequinhos, vasinhos. Tenta desfazer, ao menos esconder e dar um folego no ambiente. Isso não quer dizer pobreza ou sentir necessidade, nada disso. Ao contrário. O viver com menos é levar a vida numa forma mais sustentável, menos consumista, mais responsável, menos exigente do que nos é proposto. Ter uma alimentação menos encaixotada e mais fresca. (aqui me refiro a tudo que vem em caixinhas, latas e pacotes, repare no seu lixo, se você cozinhar mais produtos frescos, terá bem menos coisa)

E nisso entra a arquitetura,  serve de solução para a falta de espaço nas cidades. Alguns países como Dinamarca, Holanda e Alemanha há aderem a esse estilo.




Esta casa fica em Shiga, no Japão e foi projetada por FORM/Kouichi Kimura Arquitetos.


Chamada de Casa da Reticência, ela é composta por blocos criando pátios triangulares pelo terreno.


O corredor central no térreo leva ao quarto principal, quarto das crianças, “washitsu” ou cômodo  no estilo japonês, enquanto que a sala de estar, cozinha e a sala de jantar no andar superior se abrem para a varanda.


O texto abaixo é do próprio arquiteto Kouichi Kimura:



Casa da Reticência


Esta casa foi construída em terreno triangular com largura de 18 metros.


O cliente pediu que se fizesse uma casa que usasse da melhor forma possível esse terreno característico para criar uma residência, tanto com privacidade quanto com a sensação de um espaço aberto.


A construção foi feita de forma escalonada, ao longo do terreno, junto com uma grande parede.


A fachada orientada para a paisagem, que é uma das caracterísitcas externas da casa, feita com o bom uso da largura do terreno, permite que a linha de visão das pessoas seja introduzida em uma direção horizontal.


O desenho do espaço interior também tira vantagem do terreno triangular. No térreo a entrada fica bem no centro e em ambos os lados, no final do terreno, existem jardins que são separados pelo cômodo no estilo japonês.

House of Reticence by FORMKouichi Kimura Architects

Como a linha de visão foi projetada para ser a maior possível, o espaço interno é visualmente expandido dando a impressão de espaço mais aberto.


No andar superior a sala de estar e a varanda estão localizadas em ambas as extremidades. O forro da sala foi projetado mais alto do que o dos outros cômodos, dando a impressão de espaço ainda maior.


As aberturas na sala de estar, como a parede de vidro da varanda, onde há um banco logo abaixo, são elementos que produzem a sensação de abertura visual.


Ao mesmo tempo que as aberturas dão a sensação de amplitude, a casa ainda se mantém fechada ao longo do perímetro, favorecendo a privacidade.


Arquitetos: FORM/Kouichi Kimura Architects
Local
: Shiga, Japão
Ano de construção
: 2010
Área total
: 164,29 m2
Área construída
: 135,59 m2
Fotos
: Takumi Ota


Referência:


HOUSE of reticence by FORM/Kouichi Kimura Architects. Dezeen Magazine, [S.l.], 27 set. 2010. Disponível em: . Acesso em: 07 maio 2011.

Fonte http://www.nipocultura.com.br/?p=1072

Nenhum comentário:

Postar um comentário