Páginas


Bueiros! Algo tão simples no nosso dia a dia e foi transformado em arte lá no outro lado do mundo. Recebi este email e achei muito curioso. Tudo que pudermos fazer para melhorar nossa urbanística, que nos eleve a sensibilidade e anime nosso cotidiano é benvindo.

"Um povo que, por educação familiar e escolar consegue manter  a  tradição milenar, como respeitar o bem alheio, ou, de "nunca praticar atos que,  ao próximo,  pareçam danosos, certamente, esse povo não picha, não depreda, nem rouba as coisas alheias, transformando-as a longo do tempo em patrimônio público e, enfim, em bens históricos da pátria!

Flores, dragões, samurais… Quem diria, os ícones da cultura nipônica acabaram na sarjeta. Eu explico: é que as tampas dos bueiros são usadas como “telas” aqui no Japão. Elas são decoradas com desenhos artísticos para contar histórias de mitos, lendas; expressar hábitos da cultura japonesa e colorir o cenário de concreto das cidades.


Os motivos variam de região para região. Cidades e alguns distritos têm seus desenhos próprios.  As criações são incentivadas pelas autoridades locais. No Japão, a arte deixou de estar apenas nos museus e passou para as ruas há muito tempo... Os primeiros bueiros decorados surgiram na década de 1950, como forma de democratização do espaço público. Mas foi na década de 80 que a tendência virou uma mania nacional. 


Para os que gostariam de ver pessoalmente, mas nunca tiveram a oportunidade de vir ao Japão, apresento a minha coleção de fotos de bueiros, que venho tirando durante as minhas viagens pelo Japão."

Dá até pena de pisar nas tampas de bueiro, que, com certeza, são as mais bonitas do mundo.

Takayama

Shirakawago

Nara

Hiroshima

Hiroshima

Yokohama

Hakone


Matsumoto


Castelo de Osaka
Kawagoe
Monte Takao
Hakone

Kobe

Essa é a tampa de um hidrante subterrâneo de Akasaka.

Monte Mitake

Não se trata apenas de uma pintura, mas de escultura feita nos relevos do ferro. A pintura tem uma durabilidade de cerca de 20 anos. Ela é feita a partir da mistura de pigmentos e resinas, que são retiradas das árvores.

"A tradição das artes em bueiros também está documentada no livro Drainspotting, do fotógrafo Remo Camerot, lançado  em 2010.  Tem cada foto mais linda do que a outra."

Nenhum comentário:

Postar um comentário