Páginas

Vaticano

O epicentro da igreja católica, Vaticano é obrigatório mesmo para quem não segue a religião. Inevitável não se impressionar com a grandiosidade e a riqueza das artes e arquiteturas internas e externas.







No dia seguinte a visita em Roma, a próxima parada foi o Vaticano, império católico, centro das decisões e discussões. Roma tem uma história profunda e antagônica com a Santa Sé, desde a época de Cristo e não à toa foi construída lá.

Construindo o Vaticano
No século I, a imperatriz Agripina secou o pântano do vale e criou seu jardim imperial. Mas, rapidamente, o Imperador Nero o transformou em um circo romano onde eram realizadas corridas de carruagens – é provavelmente aqui que São Pedro e outros cristãos foram martirizados.

Somente em 315, durante o reinado do Imperador Constantino, a Basílica foi construída no lugar do túmulo de São Pedro. No século XV, ela estava em ruínas, e o Papa Júlio II colocou a primeira pedra da nova igreja. A Basílica foi finalizada 120 anos depois, e todos os grandes arquitetos do Renascimento, de Bramante a Maderno, ajudaram a desenhá-la.

Os muros de proteção que cercam a cidade foram construídos Pelo Papa Leão IV em 846. O palácio do Vaticano, construído no século XII, se tornou a residência oficial dos Papas depois que o Papado voltou de Avignon em 1377. Havendo voltado do exílio, os Papas transformaram o Vaticano em um centro de cultura durante o alto renascimento, encomendando trabalhos de artistas como  Da Vinci, Rafael e Ticiano.

Fonte Discovery

Comprei o ingresso via site para visitar o museu e a capela Sistina, foi 19€ e há diversos tipos de tours, guiados ou não. Se tiver paciência, tempo e gostar de história, vale a pena pegar um guiado. Escolhi uma visita sem guia para as 11h30. Chegando na praça de São Pedro à direita, há uma entrada para a cidade do Vaticano e seguindo até final, a entrada do Museu. É gente do mundo todo em caravanas enormes e seus guias apressados em fazer o percurso programado. O grupo de prédios possuem cerca de seis kilometros em galerias, salas e corredores, todas ricamente ornamentadas com afrescos, esculturas, mobiliário, artigos religiosos e peças do Egito e Roma antiga. A capela Sistina é o ponto máximo da visita e infelizmente, ou felizmente para preservar o acervo, não é permitido tirar fotos e as que estão aqui foram via Google.

As quartas-feiras, há pregação do Papa e sem saber disto, cai no meio da multidão que o assistia, isso era por volta das 10h30.

Após a visita do museu, fui a Basílica de São Pedro. É gratuita e certamente irá enfrentar uma fila homérica, mas é imperdível admirar a imponência da nave central.





Capela Sistina

Capela Sistina

Capela Sistina

sala das tapeçarias


guias explicando aos turistas sobre a capela Sistina




escada projetada por Leonardo da Vinci


Pietá obra de Michelangelo na Basílica


Altar central da Basílica de São Pedro

guardas suíços do Vaticano




Nenhum comentário:

Postar um comentário